quarta-feira, 6 de abril de 2011

Qual a diferença?

Eu faço curso preparatório para o Enem, aqui mesmo em Jacareí, pela prefeitura. Minha turma é mto da hora, tds mto esforçados.
Essa semana, minhas colegas e eu estavamos conversando sobre nossos planos pra faculdade; falei sobre a obstetricia que sonho em fazer e comentei q não aguentaria ver uma cirurgia. Uma delas perguntou como eu faria entao, e resumidamente, saiu "já que o Parto Normal hoje, também é uma cirurgia"... não entendi direito, no começo, o que ela quis dizer, mas logo me toquei: "Ah sim... o famoso parto FRANK, com td q tem direito... epísiotomia, tricotomia, posição ginecológica e muito mais, que faz o PN realmente parecer uma cirurgia. Diante da realidade de nosso sistema obstétrico e nossa cultura cesarista, lhe dei razão por pensar assim.
Em vista disso, preparei essa pequena matéria para mostrar a "diferença entre partos". Não pretendo dar uma aula, pois nem tenho a pretensão disso... mas somente tirar akela faixa de que parto normal é pra doidos...

 
Cesareana

 
Cesárea não é parto, é cirurgia!

 
No Brasil, a taxa de cesárea na rede privada chega a 90% e a 55% na rede pública (SUS), sendo que a OMS (Organização mundial da Saúde) recomenda que a taxa dessa cirurgia seja de apenas 15%. No Brasil a maioria das cesáreas são eletivas, ou seja, a mulher (ou médico) escolhe data e hora pro bebê nascer e, muitas vezes, a mulher nem chega a entrar em trabalho de parto. Uma minoria são cesáreas realmente necessárias (veremos os reais motivos pra uma cesárea logo mais abaixo). Numa cesárea:
  • A mulher é anestesiada na coluna (Rack)
  • Fica amarrada na maca, geralmente com os braços abertos
  • Um pano cobre a visão da cirurgia
  • São cortadas 7 camadas da pele e útero
  • As luzes são fortes, incomodando o bebê
  • O bebê é retirado de forma totalmente artificial e geralmente, apressada
  • A mãe deve ficar 6 horas em repouso, para se recuperar da anestesia

 

 

 
Felizmente, já existe a chamada Cesárea Humanizada, onde é visível a diferença de tratamento com mãe e bebê durante a cirurgia. Veja o vídeo: Intensidade das cenas: Moderada

 

 

 
INDICAÇÃO DE CESÁREA ANTES DO PARTO:
  • Placenta prévia: raro e claro
  • Herpes Genital com Lesão Ativa: raro e claro
  • Bebê em Posição Transversa: raro e claro
INDICAÇÃO DE CESÁREA DURANTE O TRABALHO DE PARTO:
  • Eclâmpsia: Raro e Claro
  • Prolapso de Cordão: Raro e Claro
  • Descolamento Prematuro da Placenta: Fácil de diagnosticar, raro de ocorrer
  • Desproporção Céfalo-Pélvica: Altamente discutível, largamente usada de forma errada
  • Parada de Proporção: Altamente discutível, largamente usada de dorma errada
  • Sofrimento Fetal Agudo: Altamente discutível, largamente usada de forma errada.

 
Parto Normal "Frank"

 
Todo Parto normal "Frank" é hospitalar, mas nem todo parto normal hospitalar é "Frank". Como assim?
O parto normal frank é o parto onde o carinho, respeito, atenção e paciência são termos totalmente desconhecidos. Onde as intervenções são rotineiras e o "bulling" é comum (se você gritar, vou te deixar sozinha... na hora de fazer não chorou, então não chora agora... se continuar gritando, vai faltar ar pro seu bebê e ele vai nascer retardado...). Num parto "Frank":
  • A mulher fica deitada desde o trabalho de parto
  • Fica em posição ginecológica no expulsivo
  • Não pode escolher a melhor posição para si
  • Não pode andar, comer, beber, se movimentar
  • Aplicação do "sorinho" - ocitocina artificial, que intensifica as contrações e com isso, a dor
  • Tricotomia (raspagem dos pelos pubianos)
  • Lavagem intestinal
  • Epísiotomia
  • Kristeller
  • Analgesia
  • Não pode ter acompanhante (direito garantido na lei n.º 11.108/2005)
  • O bebê é submetido à várias manobras que pode levar à distócia de ombro
  • O bebê é aspirado, sugado e limpo. Recebe colírio de Nitrato de Prata (para gonorréia) e vitamina k na coxa (ha opção oral - para evitar hemorragia).
  • Geralmente, apos isso, o bebê é separado da mãe, num berçario.

Felizmente, nem todos os partos hospitalares são "frank"... Vários já tem atendimento humanizado e mesmo hospitalar, tem um mínimo de intervenções ou não os tem. São parecidíssimos com o parto natural, que vou tratar logo abaixo.

Parto Natural

É o parto onde tudo acontece ao tempo e ritmo da mãe e do bebê, onde os papeis são muito bem definidos: a mulher como protagonista do parto e obstétras, enfermeiros, doulas e familiares como espectadores. Num parto natural:
  • Não há intervenções; não há pressa
  • A mulher tem liberdade para escolher a melhor posição para si, durante o trabalho de parto e expulsivo
  • Ela pode caminhar, fazer exercícios com bola de pilates, dançar...
  • A presença do companheiro, doula ou qualquer outra pessoa importante para a mãe é importantíssimo
  • Métodos não medicamentosos de alívio da dor, como massagens, acupuntura, compressas quentes, banho de imersão (banheira), chuveiro são muito utilizados
  • A mulher pode comer e beber, se sentir vontade
  • O parto pode ser realizado na posição que a mulher desejar, de preferência que não seja deitado
  • O bebê vai para o colo da mãe assim que nasce
  • Mama logo na primeira hora de vida, se quiser
  • A respiração começa de forma natural, respeitando o ritmo do bebê
  • O cordão é cortado tardiamente, que garante que mais células tronco, presentes no cordão umbilical, vão para a corrente sanguínea do bebê. O cordão é cortado assim que para de pulsar.
  • O parto pode ser realizado em casa ou em casas de parto, com equipe especializada
  • Em caso de intercorrência (que raramente ocorre), é feito a transferência para o hospital mais próximo.

Para mudar o mundo é preciso mudar a forma de nascer”. Michel Odent


Espero que gostem desse primeiro post. Volto logo mais!

2 comentários:

Nádia disse...

Adorei seu blog!!! LIN-DO!!!!

RENATA COSTA disse...

Querida!! Não batemos mais papo virtual!!! Seu blog está lindo! Com um material muito bom!!!
Parabéns DOULA!
Forte abraço!!!
Da Amiga Doula
Renata