quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Quanto vale seu parto? - por Cristina de Melo

Essa é uma pergunta que vocês grávidas e futuros pais devem fazer em frente do espelho. Nós sabemos que especialmente nos dias de hoje ter um filho não é barato, é o berço, o carrinho, a cômoda, o roupeiro, a banheira, o bebê conforto, o protetor de berço, aquele tapete charmoso, a poltrona de amamentação, e quem sabe um sling.

Mas será que TUDO isso é necessário? E será que precisamos comprar tudo da melhor marca, melhor loja? Que diferença tem um berço de 200 e ou berço de 600 reais? Um carrinho de 300 ou um de 1,5 mil reais? Mas tudo bem, cada um sabe o que pode comprar!

O problema é que os casais não enxergam a importância de investir no PARTO, na chegada daquele ser especial que vai usar todas aquelas coisas citadas acima. A experiência do parto é única, um momento especial, mágico e inesquecível. Pelo menos é assim que ele deve ser. Já vi muitos casais falando que querem muito um Parto Domiciliar, mas que não fariam por causa do lado financeiro. Mas gente, vamos falar a verdade que nem é tão caro, aliás sai mais barato do que a maternidade particular. Sem contar que com certeza qualquer equipe ou parteira de qualidade parcela e até negocia o valor, se você realmente precisa e quer aquilo! Assim como Doulas, qualquer doula de qualidade e confiança negocia e parcela o valor, que no Brasil é entre 500 a 900 reais. Não deixe de ter uma por causa do financeiro, esteja aberto para negociações!

Outra coisa muito comum é os casais optarem pela cesárea para não ter que pagar o chamado do médico, quantas vezes eu já ouvi ''Se for cesárea a médica não cobra nada a mais, se for parto normal eu tenho que pegar 2 mil. Prefiro fazer então pelo convênio." E o bebê? Ele pode decidir o que é melhor pra ele? Ele pode ou deve opinar? É, infelizmente é grande a quantidade de bebês nascidos em cesáreas eletivas, nascidos por ESSE motivo em especial, porque sai mais barato!

Por outro lado temos os casais que gastam MUITO para ter uma cesárea eletiva por medo do parto anormal oferecido nas maternidades públicas, medo dos erros que saem nos jornais todos os anos. Será que essa é a melhor opção? Será que investir numa Doula que vai acompanhar esse casal em casa, usando a sua experiência e formação para que eles cheguem na maternidade apenas do final da fase ativa, ao invés de chegar nas primeiras contrações? Ter uma pessoa que entende do processo do parto, os procedimentos e indicações, para proteger a parturiente nesse momento? Isso não é garantia, nada é, nem uma cirurgia eletiva. Mas diminui e muito as chances de algo ruim acontecer.

E claro, temos os casais que querem o parto com o plantonista da maternidade, e temos plantonistas maravilhosos, que fazem o que a gestante quer, respeitam seus desejos e interferem apenas quando realmente necessário. Mas infelizmente também temos aqueles médicos que não são adeptos ao parto humanizado, que preferem fazer uma cesárea logo, inventam uma desculpa qualquer, e o casal inexperiente com certeza vai acreditar e aceitar. Mas e depois? Quando principalmente a nova mãe vai descobrir que poderia ter sido diferente? Que aquilo não era necessário? Como fica a cabeça dessa mulher?

Então pensem novamente, quanto vale o SEU parto?

Não, eu não estou dizendo que deve ser tudo do mais caro, mas TENHA um médico de confiança, um médico REALMENTE a favor do Parto Natural, que vá respeitar seus desejos até onde for possível.

Mas se você quer tentar a opção do plantonista, tudo bem, mas tenha o que eu chamo e recomendo a TODAS as minhas gestantes, um plano B. Um médico de confiança para chamar no dia, caso o plantonista não for o ideal para você. Como fazer isso? Procure indicações dos médicos a favor do parto natural na sua cidade, as Doulas são ótimas para isso.

Marque consulta com um desses ou alguns desses, diga que você quer ter um plano B, qual o honorário deste médico, as formas de pagamento, se ele estará disponível se você precisar e anote o telefone celular. Quando entrar em trabalho de parto, ligue para a maternidade para saber quem é o plantonista, e já pense se você vai arriscar ou encarar. Se chegar na maternidade e for um obstetra ruim ( as vezes as recepcionistas erram nos nomes dos médicos) chame o seu obstetra plano B, não aceita qualquer um.

O parto é SEU, é um momento único, especial, e você merece ter uma lembrança especial e não traumatizante!! Lembre-se, é o seu filho que está chegando ao mundo, traga-o de uma maneira especial, e não da maneira mais econômica.

Invista nesse momento, como você investeria em um casamento, festa de 1 aninho, batizado e afins!

E sempre, sempre tenha uma Doula!



Então? Quanto vale o seu parto?

Cristina de Melo
Doula

http://guiadobebe.uol.com.br/quanto-vale-o-seu-parto/

Esta página foi publicada em: 02/08/2011

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Eu não sou buldog não!!!

Achei esse texto muito bacana... vale a pena ler!!
Com a devida autorização, esse texto foi tirado do site http://mulheresempoderadas.wordpress.com/2011/08/01/eu-nao-sou-buldog-nao/

****************************************************************

Estou muito feliz em colocar este texto aqui. Primeiro porque o texto é ótimo mesmo. Segundo, porque ele foi escrito por uma amiga super especial. Somos amigas há quase 10 anos, trabalhamos juntas e nunca imaginei a Manu mamãe…. Mas, na festa de casamento dela, tive certeza que essa mulher que eu conhecia há tanto tempo havia mudado… Ela brincava com os sobrinhos de uma forma que eu nunca a imaginaria brincando. Se tivessem me contado eu não teria acreditado. Mas eu VI! E ali, tive certeza que Manu seria mãe.
Mas o melhor de tudo isso, é que ela se mostrou uma grávida super empoderada. Está se informando, trocando de obstetra e procurando um nascimento digno para sua bebê. Ela está tomando as rédeas da gestação e vai ser protagonista de sua própria história. E numa dessas conversas sobre parto, sobre equipes Manu soltou:
“Eu não vou fazer cesárea! Eu não sou buldog!”…. e dessa conversa, saiu este texto maravilhoso que divido aqui com vocês.
Por Manuela Mitre
Antes de mais nada, eu adoro cachorros, tenho duas em casa. A segunda é filha da primeira, fruto de um lindo parto domiciliar da qual eu fui orgulhosamente parteira, experiência que foi muito importante para mim, mas isso é assunto pra outra hora.

Voltando ao assunto, como muitos sabem, as raças de cães são criação do Homem. Ao longo dos séculos (talvez milênios), o ser humano realizou uma seleção artificial dos cães, promovendo ou impedindo cruzamentos com o objetivo de salientar características desejadas, como inteligência, pelagem, tamanho, etc. Porém, infelizmente, nem sempre essas características salientadas trouxeram mais saúde para o cãozinho. É o caso do bulldog inglês.

Originalmente criado para enfrentar e matar touros com os dentes, o que importava para seus criadores era uma cabeça grande com o focinho curto, para que a mordida fosse mais forte. A largura dos ombros foi salientada para que o cachorro também tivesse mais força para lutar. Mas ninguém se preocupou com a desproporção de tamanhos entre cabeça e bacia que foi sendo reforçada ao longo das gerações. Hoje a raça apresenta o terço anterior do corpo amplo e potente e uma pelves estreita e fina. Nenhuma outra raça tem um tamanho de cabeça tão grande em relação ao restante do corpo. E a cadela ficou com um problemão na mão.
Parou pra pensar na dificuldade que deve ser um parto normal da pobre cadela?
Por tudo isso, normalmente, os partos de bulldogues são realizados por cesariana.
Isso quando eles conseguem cruzar, porque também dependem de interferência humana para se encaixar e ficar grudadinhos – a Natureza é sábia e faz de tudo para que anomalias evolutivas não sejam perpetuadas.
Nós também passamos por um processo evolutivo, deixamos de ser quadrúpedes para andar de pé. E isso afinou a nossa bacia – ou foi porque ela afinou que conseguimos andar de pé, vai saber?
 Nossos cérebros (portanto também nossas cabeças) são mais desenvolvidos e maiores do que dos demais primatas. A conclusão óbvia, conhecendo o histórico do bulldog é que, por tudo isso, os partos deveriam ser mais difíceis, correto?
Errado. Uma adaptação evolutiva NATURAL permitiu que nossa espécie continuasse a se reproduzir naturalmente, sem ninguém ter que ajudar a encaixar (já pensou?). E, para possibilitar um parto normal, o desenvolvimento do nosso cérebro não está completo quando nascemos, ao contrário dos nossos primos macacos.
O cérebro continua a se desenvolver na infância, fora da barriga da mãe, quando a cabeça pode crescer sem colocar em risco a vida dos dois. Por isso também que nossos bebês são mais dependentes que dos demais mamíferos. É como se a gente nascesse um pouquinho antes da hora pra conseguir passar, sabe? Naturalmente!
Claro que existem exceções e alguns bulldogues conseguem parir naturalmente. Assim como alguns de nossos partos precisam de intervenções médicas.
Mas, quando alguém vem me falar de marcar cesária eu só respondo: “eu não sou bulldog, não!”
Fontes: Bulldog Club do Brasil, Desejo Saúde
Manu Mitre, 25 semanas da Alice, escreve semanalmente sobre Design de Interiores no Casa da Id&a. Sem “pode” ou “não pode”, ela explica que o que importa é a mensagem e a sensação que o ambiente transmite.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Parto Frank - HUMANIZAÇÃO JÁ!!!

Pensei muito antes de colocar esse vídeo aqui, pois é de fato um verdadeiro filme de terror.
Isso é uma demonstração real do verdadeiro parto frank. Segundo Michel Odent, é preferivel uma cesárea do que um parto frank... pra quem assistir, pense depois: Se a isso é preferivel uma cesárea, não é mesmo justo que levantemos a bandeira e lutemos tanto pela humanização do parto no Brasil?

http://www.youtube.com/watch?v=jV1NIjbTnwk&feature=player_embedded

*Eu ia postar já o vídeo para ser visto aqui, mas achei a imagem estática um pouco pesada. Então, segue o link!

As intervenções, desde a gestante com o sorinho até o bebê nascido sofrendo as intervenções, são uma amostra do que acontece em boa parte das maternidades brasileiras, principalmente onde a saúde sofre com a politicagem e roubo dos recursos públicos.

Há um outro vídeo que mostra a diferença entre o parto normal natural, humanizado e uma cesárea eletiva. Quando eu o encontrar, eu posto neste post e faço um UPDATE!

HUMANIZAÇÃO JÁ!!!